quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Pequenos Espaços Grandes Problemas

Cada dia que passa é visível a queda na qualidade de vida nas grandes cidades. Congestionamentos, poluição, violência, ônibus lotados, desodorantes vencidos, pois é, quem pega ônibus lotado todo dia se identifica bastante com esse último agravante citado da má qualidade de vida em grandes centros urbanos.

Também são comuns aos adeptos dessa vida labuta metropolitana problemas físicos como dor nas costas, dor de cabeça, dor nos braços mas o lugar mais comum de se sentir dor mesmo é no bolso porque além de ter que desembolsar com tratamentos médicos e remédios o cidadão também tem que arcar com as mais altas tarifas de transporte do Brasil. E como se os problemas físicos já não fossem o bastante há também os problemas psicológicos como estresse, síndrome do pânico e até mesmo a síndrome de Tourette, para os que a desconhecem eu vou explicar, essa síndrome se caracteriza por movimentos involuntários de determinados músculos do corpo e pode também manifestar sintomas de coprolalia que se refere a indivíduos que dizem palavras obscenas e insultos involuntariamente e pergunto, qual pessoa que resida em uma grande cidade nunca ouviu um indivíduo proferir palavras , digamos, impróprias para o horário sem nenhum motivo aparente? É meio difícil passar um dia inteiro sem se deparar com certas coisas nesses conglomerados de gente “educada”.

Sirenes de dia, sirenes de noite, de tarde, de madrugada e com direito a hora extra, é essa uma das faixas que compõem a trilha sonora da nossa amada metrópole.Também estão inclusos nessa trilha sons : de tiros, de buzinas, de cachorros ladrando, de alarmes soando e em certas ocasiões somos contemplados com uma faixa extra que é o remix de todas as faixas anteriores e tudo isso fora a festa de São João permanente que os balões nos trazem.

É claro que existem coisa boas nas grandes cidades como o grande acervo cultural, bares e restaurantes, shopping centers, enfim,tudo o que a gente quiser a hora que a gente quiser ,mas será que isso tudo nos traz paz e tranqüilidade e consequentemente felicidade? Acho que poderíamos começar nossa caminhada em busca da felicidade de concreto e vigas respeitando o nosso próximo desde que esse próximo saiba que não é esporte de ninguém cheirar as axilas das pessoas em ônibus lotados. O que eu quero dizer com tudo isso é que pra melhorar a cidade em que vivemos é preciso que primeiro nos tornemos pessoas melhores. É algo pra se pensar não acha?

5 comentários:

Andréa Rodrigues disse...

Li esse post ontem mas nao tava conseguindo comentar pq dava erro :P

mas hj eu voltei aqui pra comentar =D~
Todos esses problemas que ocorrem nos grandes ce4ntros urbanos acho que é mais devido a falta de planejmaneto e ao crescimento desordenado das cidades. Campinas por exemplo, é considerado interior de São Paulo, mas já é quase a 2ª maior cidade de SP depois da Capital. E Campinas também sofre com os mesmo problemas. Se no Brasil tivesse mais planejamento na construção das cidades esses problemas seriam bem menores do que são.

:)

Thata Diacronia disse...

oie! =)
Realmente todos esses problemas são falta de planejamento, mas nós podemos deixa-la 'menos pior'. Porém falta respeito para com o próximo.
Todo mundo vive reclamando dos transportes e tals, mas na hora q estão lá nem se preocupam com os idosos ou se já está lotado.

Antes de cobrar dos outros temos que cobrar de nós mesmos!!


b-jokas

Andréa Rodrigues disse...

Oii Vitor =)

vlw pelo comentário no meu blog..ah e meus posts eu faço de matérias que eu li ou vi passar na tv. Mas antes de postar eu sempre entro nos portais tipo uol,terra,globo,limão e etc. pra ver se tem alguma noticia q poderia virar um post. ai eu tiro as informações de lá procuro mais sobre o assunto na net e faço meu post =)

Michele disse...

Com certeza, é muito de se pensar.
Eu, não conheço esta situação. Minha cidade tem 100 mil habitantes e não vive em tal caos. Mas é claro que a presença do desodorante vencido e outras coisas sempre dão o ar da graça, fazer o que. Precisamos nos tornar mais humanos, menos egocentricos, mais realistas e fazer o amor prevalecer. Creio que só assim, haverá alguma mudança. Gostei daqui :*

Michele disse...

Ah, desculpa pela demora para responder. Também vou adicionar seu blog nos meus favoritos, ok? *_* . Seu comentário - com os dos outros blogueiros - me fizeram abrir os meus olhos, concordo totalmente. Obrigada e beijinhos :*